Blog

//Provas de rua: para os iniciantes na corrida

Provas de rua: para os iniciantes na corrida

É de conhecimento geral que a corrida de rua vem crescendo exponencialmente em todo o país. Muitas explicações existem para tal constatação, dentre elas, estão:

  • A corrida é um esporte “fácil” de praticar, sem grandes exigências;
  • É barato; é só calçar um tênis;
  • O corredor pode escolher o melhor horário para sua prática;
  • A busca por uma melhor qualidade de vida;
  • Sair do sedentarismo, dentre outros.

No entanto, a maioria dos que iniciam tal atividade “tomam gosto” pela corrida e pelas provas de rua. Alguns ficam “viciados” e a suspensão de um treino, por qualquer que seja o motivo, pode ser motivo de imensa chateação.

Questão de Gosto

Quem critica a corrida argumenta que trata-se de um esporte solitário, monótono e sem a emoção que um esporte coletivo, como, por  exemplo, o futebol, traz. Claro que a emoção e a vibração da maioria dos esportes coletivos não pode ser reproduzida na corrida. Porém, como qualquer atividade física, a busca por objetivos cada vez maiores dentro do esporte pode ser o combustível dessa emoção tão requerida. É possível, mesmo para os iniciantes, com uma correta preparação e orientação, participar de provas de rua.

E o objetivo da maioria daqueles que praticam algum tipo de atividade física é melhorar a performance. Na corrida, não é diferente! Aquele friozinho na barriga que dá ao chegar próximo de uma competição (ou prova) não é exclusivo apenas dos atletas profissionais da corrida, mas pode ser dos iniciantes também.

Preparação para as provas de rua

A motivação é o que move o ser humano e nada melhor do que uma prova para acrescentar essa motivação aos seus treinos de corrida. As pessoas se beneficiam mais quando trabalham em direção a um objetivo específico. Para o iniciante, as provas de rua de 5 km são as ideais. Lógico que o preparo também deve existir. Não é aconselhável que o corredor de final de semana se inscreva numa prova desta e saia correndo. É possível que, com 4 a 6 semanas de dedicação aos treinos, 3 a 4 vezes por semana, o iniciante esteja apto para a prática desta prova.

Além dos treinos de corrida, é muito importante que o atleta intercale o trabalho de alongamento e fortalecimento muscular. A corrida é uma atividade que gera um determinado impacto, cíclico e repetitivo, e a musculatura, quando bem trabalhada, além de contribuir com a melhora da performance, ajuda na prevenção de lesões, como tendinopatias ao redor do joelho, canelites e até fraturas por estresse tão comuns aos corredores.

Recomendações

Muitos recomendam os cuidados com a alimentação apenas no dia que antecede a prova ou até mesmo no próprio dia. Mas esses cuidados têm que ser diários em todos os treinos. Logicamente que, na véspera, os cuidados são intensificados não só com a quantidade, mas também com a qualidade. Evitar alimentos pesados e gordurosos, aumentando os carboidratos, é de vital importância. Além disso, não esqueça também da hidratação antes, durante e após a corrida.

Por último, mas não menos importante, é a escolha do tênis. Cada corredor tem uma pisada, e, para cada pisada, existe um tênis próximo do ideal. Cuidado: o tênis tem que ser trocado a cada 500 a 600 quilômetros corridos. Isso é necessário pois sua eficácia é perdida principalmente no que se refere ao sistema de amortecimento. A indústria e o marketing esportivo atualmente são pesados, confundem o corredor, o esportista em geral. Ainda assim, existem maneiras de definir qual o tênis ideal para cada corredor (baropodometria, por exemplo). Logo, se informe, procure especialistas da área antes de definir o melhor calçado.

Seu corpo e sua saúde agradecem!

Por | 2019-03-01T19:28:19+00:00 23/08/2018|Categories: Blog|Tags: , , , |0 Comments

Sobre o autor:

Moisés Cohen
Dr. Moisés Cohen é médico ortopedista e diretor do Instituto Cohen

NOSSOS CANAIS DE COMUNICAÇÃO COM VOCÊ!